Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

Exercícios sobre a Ditadura Militar

Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre a Ditadura Militar e veja a resolução comentada.


Por Rainer Gonçalves Sousa
  • Questão 1

    (FUVEST-SP/2002) “Na presidência da República, em regime que atribui ampla autoridade e poder pessoal ao chefe de governo, o Sr. João Goulart constituir-se-á, sem dúvida alguma, no mais evidente incentivo a todos aqueles que desejam ver o país mergulhado no caos, na anarquia, na luta civil.” (Manifesto dos ministros militares à Nação, em 29 de agosto de 1961).

    Esse Manifesto revela que os militares

    a) estavam excluídos de qualquer poder no regime de democracia presidencial.
    b) eram favoráveis à manutenção do regime democrático e parlamentarista.
    c) justificavam uma possibilidade de intervenção armada em regime democrático.
    d) apoiavam a interferência externa nas questões de política interna do país.
    e) eram contrários ao regime socialista implantado pelo presidente em exercício.

    ver resposta


  • Questão 2

    (Mack-SP/2004) A “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, em março de 1964, na cidade de São Paulo, foi:

    a) uma demonstração de forças conservadoras de direita contra o que chamavam de esquerdismo e comunismo do governo João Goulart.

    b) uma manifestação de apoio das famílias de trabalhadores brasileiros ao governo do presidente Goulart.

    c) uma resposta das massas populares, apoiando as Reformas de Base, após o Comício na Central do Brasil (RJ/março de 1964).

    d) uma demonstração de repúdio das classes trabalhadoras a uma possível intervenção militar, com apoio norte-americano, ao governo de Goulart.

    e) uma manifestação, de setores conservadores da sociedade brasileira, de revolta contra a tentativa de se derrubar o governo constitucional.

    ver resposta


  • Questão 3

    (FGV-SP/1998) Em relação ao Golpe Militar de 1964 no Brasil, pode-se dizer:

    I- Foi fruto de uma conspiração civil-militar alarmada com os rumos nacionalistas do governo João Goulart.

    II- Foi a forma encontrada pelos comandos militares para garantir a posse do novo presidente.

    III- Representou a repulsa de setores da sociedade brasileira à tentativa de João Goulart de aumentar a presença do capital estrangeiro no país.

    IV- Evitou a tentativa do Partido Comunista Brasileiro, de sindicatos de trabalhadores e de setores do Partido Trabalhista Brasileiro de exigir do presidente, a implementação imediata das “reformas de base”.

    Estão corretas as frases:

    a) III e IV. b) III e V. c) I, II e III. d) I, IV. e) II, III e IV.

    ver resposta


  • Questão 4

    (UFC-CE/2001) “Chefes altamente qualificados do Movimento de Março de 64 preferem chamá-lo contra revolução. Com efeito, houve uma reação ao rumo desordenado e ameaçador das liberdades democráticas que a Nação tomava sob Goulart. (...) Março de 64 é, pois, uma resposta e não um projeto autônomo. Por isso, foi feito em nome do Anti: anticomunismo, antipeleguismo, anticorrupção”. (Jarbas Passarinho, Folha de São Paulo, 31/03/1982).

    “Com efeito, o governo de Jango não caiu por seus defeitos... ele foi derrubado por suas virtudes. Essencialmente porque representava uma ameaça inadmissível para as classes dominantes. Quem viveu aqueles últimos meses de tensão recordará tanto a animosidade e o ódio que se alastraram por toda a casta de privilegiados contra o governo nacionalista e sindicalista, como o entusiástico apoio popular ao governo trabalhista e reformista”. (Darcy Ribeiro, Folha de São Paulo, 30/03/1982).

    Com base nos testemunhos acima citados, faça o que é pedido abaixo.

    a) Identifique os pontos de vista de cada um dos autores citados com relação ao golpe militar de 1964.

    b) Compare os projetos políticos para o Brasil que estão implícitos nos dois trechos acima citados.

    ver resposta


  • Questão 5

    (Unicamp-SP/1996) “A palavra revolução tem sido empregada de modo a provocar confusões... No essencial, porém, há pouca confusão quanto ao seu significado central: sabe-se que a palavra se aplica para designar mudanças drásticas e violentas na estrutura da sociedade.” (FLORESTAN Fernandes. O que é Revolução. SP: Brasiliense, 1981, p.7 e 8.)

    Explique por que, segundo o conceito proposto por Florestan Fernandes, o movimento político de 1964 não foi uma revolução.

    ver resposta




Respostas


  • Resposta Questão 1

    Letra C. Por meio deste documento, é possível ver que o interesse dos militares em assumir o governo federal já se desenhava muito antes do golpe, ocorrido em 1964. Ao falar da ameaça contra a ordem, buscavam projetar um cenário político e econômico visivelmente influenciado pelo discurso comunista. De tal forma, preparavam a aceitação do golpe, arquitetando o desenvolvimento de uma tensão que transformava a intervenção militar em atitude necessária.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    Letra A. Realizada após o “Comício da Central do Brasil”, a marcha representou a mobilização dos setores civis conservadores do país. Em âmbito geral, a manifestação contou com a presença de grupos da classe média, empresários e setores ligados à Igreja Católica. Sendo contrários às medidas anunciadas por João Goulart no “Comício da Central”, os participantes dessa manifestação acabaram oferecendo o respaldo necessário para que as forças militares articulassem o golpe militar de 1964.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

    Letra D. Observando atentamente as informações sobre a deflagração do golpe de 1964, podemos ver que os militares mostravam-se nitidamente desconfortáveis com a orientação nacionalista e trabalhista que o governo de João Goulart assumia. Sob esse contexto, acreditavam que as “reformas de base” seriam um primeiro passo para que setores de esquerda e os sindicatos ampliassem as suas esferas de atuação política no Brasil.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    GABARITO A: Realizando a leitura dos textos acima, notamos a construção de duas argumentações antagônicas com relação ao golpe de 1964. Por um lado, o militar Jarbas Passarinho aponta o evento como uma reação contra as ameaças que tomavam conta de um governo influenciado pelo ideário comunista. Em contrapartida, o acadêmico Darcy Ribeiro entende que esse mesmo golpe foi um atentado contra uma série de mudanças que partiam da demanda popular e buscavam ser atendidas pelo governo de João Goulart.

    GABARITO B: No primeiro documento, vemos um projeto preocupado em defender a nação de uma revolução que se perfilava através do desordenamento das liberdades democráticas. Já no segundo, esse mesmo governo é tomado como importante fio condutor de uma série de reformas, preocupadas em defender os interesses nacionais e atender as várias demandas da classe trabalhadora brasileira.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 5

    O movimento de 1964 não pode ser visto como uma revolução, na medida em que ele não estabelece a inversão da hierarquia social e econômica que se desenvolvia no país naquele período. De fato, observando as ações tomadas pelos militares ao longo das duas décadas que estiveram no poder, notamos que as ações autoritárias tinham amplo interesse em preservar as políticas e relações econômicas exploratórias que dominavam a nação.

    voltar a questão


Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas




Brasil Escola nas Redes Sociais