Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

Exercícios sobre a Resistência dos Escravos

Perguntas sobre essa curiosa faceta da História do Brasil.


Por Rainer Gonçalves Sousa
  • Questão 1

    (UFMG) – "Restituídas as capitanias de Pernambuco ao domínio de Sua Majestade, livres já dos inimigos que de fora as vieram conquistar, sendo poderosas as nossas armas para sacudir o inimigo, que tantos anos nos oprimiu, nunca foram capazes para destruir o contrário, que das portas adentro nos infestou, não sendo menores os danos destes do que tinham sido as hostilidades daqueles."
    ("Relação das guerras feitas aos Palmares de Pernambuco no tempo do Governador D. Pedro de Almeida, de 1675 a 1678", citado por CARNEIRO, Edson. Quilombo dos Palmares. 2.ed. São Paulo: CEN, Col. Brasiliana, 1958. v.302.)

    O texto faz referência tanto às invasões holandesas ("... dos inimigos que de fora as vieram conquistar") quanto ao quilombo de Palmares (“... o contrário, que das portas adentro nos infestou"). O quilombo de Palmares, núcleo de rebeldia escrava no Nordeste brasileiro, alcançou considerável crescimento durante o período de ocupação holandesa em Pernambuco. Mesmo após a expulsão dos invasores estrangeiros pela população local, o quilombo resistiu a inúmeros ataques de tropas governistas.

    a) Apresente uma razão para a ocupação holandesa do Nordeste brasileiro.

    b) Explique, com base em um argumento, a longa duração de Palmares.

    ver resposta


  • Questão 2

    (UFRJ) – "(...) meu coração estremece de infinita alegria por ver que a terra onde nasci em breve não será pisada por um pé escravo. (...) Quando a humanidade jazia no obscurantismo, a escravidão era apanágio dos tiranos; hoje, que a civilização tem aberto brecha nas muralhas da ignorância e preconceitos, a liberdade desses infelizes é um emblema sublime (...). Esta festa é a precursora de uma conquista da luz contra as trevas, da verdade contra a mentira, da liberdade contra a escravidão."
    (ESTRELLA, Maria Augusta Generoso e Oliveira. "Discurso na Sessão Magna do Clube Abolicionista", 1872, Arquivo Público Estadual, Recife-PE.)

    A escravidão está associada às diversas formas de exploração e de violência contra a população escrava. Essa situação, embora característica dos regimes escravocratas, registra inúmeros momentos de rebeldia. Em suas manifestações e ações cotidianas, homens e mulheres escravizados reagiram a esta condição, proporcionando formas de resistência que resultaram em processos sociais e políticos que, a médio e longo prazos, influíram na superação dessa modalidade de trabalho.

    a) Cite duas formas de resistência dos negros contra o regime da escravidão ocorridas no Brasil.

    b) Explique um fator que tenha contribuído para a transição para o trabalho livre no Brasil no século XIX.

    ver resposta


  • Questão 3

    (Unicamp-SP) – O escravo no Brasil é geralmente representado como dócil, dominado pela força e submisso ao senhor. Porém, muitos historiadores mostram a importância da resistência dos escravos aos senhores e o medo que os senhores sentiram diante dos quilombos, insurreições, revoltas, atentados e fugas de escravos.

    a) Descreva o que eram os quilombos.

    b) Por que a metrópole portuguesa e os senhores combateram os quilombos, as revoltas, os atentados e as fugas de escravos no período colonial brasileiro?

    ver resposta


  • Questão 4

    (Portal Impacto) “A dinâmica da sociedade escravocrata refletiu enormes contradições entre seus dois principais segmentos: senhores e escravos, ocasionando a formação de uma variada gama de possibilidades de resistência entre aqueles que se viam cotidianamente, explorados.”

    Sobre as possibilidades de resistência as quais o texto se refere não podemos afirmar:

    a) Os escravos muitas vezes resistiam a escravidão implicitamente, através da manutenção de seus hábitos e costumes.

    b) A coartação foi um mecanismo para a aquisição da liberdade totalmente conflituosa, através da qual se aumentavam a exploração e maus tratos aos escravos e estes acabavam explodindo em sangrentas rebeliões contra os seus senhores.

    c) A formação dos chamados agrupamentos familiares entre negros foi considerada uma forma de resistência eficiente, através da qual negros conquistavam a liberdade beneficiados pelo sistema de cooperação, compadrio e barganha.

    d) Os movimentos de resistência escrava, nem sempre ocorriam de forma conflituosa, pois muitos escravos manipulavam seus senhores dando-lhes bons exemplos, através da obediência e principalmente muito trabalho, almejando o reconhecimento e a conquista da liberdade.

    e) A formação dos quilombos ou mocambos era o maior exemplo de resistência coletiva, representando o símbolo contra a escravidão no Brasil.

    ver resposta




Respostas


  • Resposta Questão 1

    GABARITO A: A ocupação holandesa aconteceu mediante a unificação das coroas portuguesa e espanhola. Nesse contexto, os holandeses tiveram sua participação na indústria açucareira vetada pela Coroa Espanhola, que visava utilizar da retaliação econômica como resposta à recente desanexação do território holandês de seus domínios.

    GABARITO B: Os conflitos que marcam a entrada dos holandeses no espaço colonial brasileiro foram de grande valia para que um grande número de escravos escapasse de suas propriedades de origem. Com o prolongamento dessas fugas, Palmares acabou agrupando uma grande comunidade capaz de resistir às várias investidas organizadas contra este espaço. De tal maneira, podemos compreender um dos motivos que explicam a durabilidade desse foco de resistência à escravidão.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    GABARITO A: Entre as várias formas de resistência ao trabalho escravo, podemos salientar a formação dos quilombos, as fugas, o suicídio, a realização de abortos, a própria capoeira e a organização de levantes contra os senhores de escravos.

    GABARITO B: A disseminação do ideário iluminista teve grande importância para que a escravidão fosse abolida e o trabalho livre adotado em terras brasileiras. No interior de seu discurso, vários intelectuais influenciados pelo iluminismo apontavam que a escravidão era uma prática atrasada e que poderia vir a determinar o fracasso social e econômico da nação. De tal forma, a adoção do trabalho livre se tornava em um meta fundamental para que o país viesse a ser moderno e desenvolvido.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

    GABARITO A: Os quilombos eram comunidades em regiões de difícil acesso formadas por escravos que resistiam ao trabalho compulsório. Uma vez foragidos, a população dos quilombos desenvolviam formas próprias de organização social e econômica afastadas do modelo imposto pela ordem agroexportadora. Não raro, fugitivos da lei, indígenas e outros marginalizados também viam a fazer parte das comunidades quilombolas.

    GABARITO B: O combate contra tais ações era de fundamental importância para que a ordem colonial não fosse ameaçada pelos inúmeros escravos que determinavam a sua própria sustentação. De tal forma, os combates às fugas e revoltas se mostravam constantes e indicavam as tensões geradas no interior de um sistema construído a partir da exploração e da desigualdade.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    LETRA B. A coartação era um mecanismo de controle através do qual o senhor poderia impedir que seu escravo viesse a se revoltar contra o mesmo. Nessa modalidade de acordo, o senhor vendia a alforria de forma parcelada para seu escravo que, por sua vez, acabava se conformando à exploração de sua força de trabalho tendo em vista a possibilidade de conquistar a sua liberdade após um determinado período.

    voltar a questão


Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas


Brasil Escola nas Redes Sociais