Receba novidades em seu e-mail
OK
Área do usuário

Exercícios sobre a Crise de 1929

Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre a Crise de 1929 e veja a resolução comentada.


Por Rainer Gonçalves Sousa
  • Questão 1

    (UNESP) Em 1929, a Bolsa de Valores de Nova York quebrou.  As ações se desvalorizaram drasticamente; os estoques de cereais se acumularam; os preços dos produtos baixaram.  Fazendeiros faliram.  As grandes indústrias diminuíram fortemente a produção; as médias e pequenas fecharam.  Grandes massas de trabalhadores ficaram desempregadas.  O Estado, essencialmente liberal, não intervinha na produção e o mercado sozinho não controlava a crise.  Para controlar a crise, Franklin Delano Roosevelt, democrata eleito presidente em 1932, lançou um programa de reconstrução nacional, o New Deal, cuja meta era promover reformas profundas na sociedade norte-americana. Baseando-se no texto, responda: Qual a diferença entre o liberalismo econômico clássico e o New Deal?

    ver resposta


  • Questão 2

    (UERJ) A Grande Depressão eclodiu num mundo otimista que parecia caminhar na direção de uma prosperidade permanente. Ela iniciou-se com o crack da bolsa de Nova York em outubro de 1929, afetando todas as atividades econômicas dos Estados Unidos e se propagando através do mundo.

    a) Caracterize a Grande Depressão e indique o motivo pelo qual seus efeitos foram sentidos em diversas regiões do mundo.

    b) Indique uma consequência da Grande Depressão para a economia brasileira.

    ver resposta


  • Questão 3

    Faça um pequeno parágrafo explicando por que a União Soviética não sentiu os problemas gerados pela Crise de 1929.

    ver resposta


  • Questão 4

    (Fatec-SP) Entre os fatores que ocasionaram a crise de 1929 nos EUA destaca(m)-se:

    a) o protecionismo rígido, a escassez de crédito bancário e a superprodução.

    b) a saturação do mercado, a crise na agricultura e o crash da bolsa de Nova York.

    c) a superprodução, a saturação do mercado e a expansão desmedida do crédito bancário.

    d) a adoção de programas de construção de obras financiadas pelo Estado para minorar o desemprego.

    e) a excessiva oferta de terras e o protecionismo rígido.

    ver resposta


  • Questão 5

    (UFRS) NÃO pode ser considerado(a) consequência da crise econômica de 1929:

    a) a retração do comércio internacional e da produção industrial, bem como a queda do preço das matérias-primas.

    b) o crescimento do desemprego na Alemanha, país cuja economia era baseada na exportação de produtos industrializados.

    c) o crescimento econômico da União Soviética baseado na Nova Política Econômica (NEP).

    d) a eleição de Franklin Delano Roosevelt para a presidência dos Estados Unidos, com um programa de recuperação econômica.

    e) o crescimento eleitoral do Partido Nazista na Alemanha.

    ver resposta




Respostas


  • Resposta Questão 1

    No liberalismo econômico clássico a economia é pensada como um organismo capaz de se autorregulamentar, capaz de conceber as alternativas que a levariam ao equilíbrio. Sob tal aspecto, a intervenção do Estado é vista de modo negativo, tendo em vista que essa interferência impediria que a economia viesse a se desenvolver mais e mais. Em contrapartida, o New Deal abandona essa visão autorreguladora da economia ao acreditar que a intervenção do governo seja necessária para que os desequilíbrios do sistema econômico não venham a causar prejuízos que afetem toda a sociedade.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 2

    a) A Grande Depressão foi um evento durante o qual a economia dos EUA passou por uma violenta recessão após a quebra da Bolsa de Nova York. Nesse contexto, as empresas produziram em quantidades que não equivaliam ao poder de compra do mercado e, por esta razão, tiveram que abaixar o preço dos produtos e despedir milhares de trabalhadores. No mercado externo, a Grande Depressão pôde ser sentida nas nações europeias que dependiam fortemente dos recursos financeiros emprestados pela economia norte-americana. A partir da crise, os governos europeus também foram vitimados pelo retrocesso da economia dos Estados Unidos da América.

    b) As implicações da Depressão na economia brasileira foram bastante significativas. O descontrole da economia norte-americana reduziu drasticamente os lucros obtidos com a exportação do café. Por esse mesmo motivo, vários setores do comércio e da indústria também foram obrigados a fechar postos de trabalho, tendo em vista que também dependiam dos lucros do café para ampliarem.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 3

    Os efeitos da Crise de 1929 não foram sentidos na União Soviética tendo em vista que o país se encontrava em um modelo econômico restrito aos países que integravam o bloco dos países socialistas. Através dos chamados planos quinquenais, Stálin orientava o modelo de desenvolvimento da economia por meio de metas que se renovavam a casa período de cinco anos.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 4

    Letra C. A falta de mecanismos que regulamentavam a economia dos Estados Unidos acabou fazendo com que os vários setores da economia caminhassem de forma frenética, esperando que as forças produtivas do país experimentassem um inabalável quadro de crescimento e expansão. Com o passar do tempo, o impacto sofrido pelas próprias limitações da economia viriam a determinar o desenvolvimento da crise.

    voltar a questão


  • Resposta Questão 5

    Letra C. A NEP foi uma medida anterior à Crise de 1929 tomada pelo governo de Vladmir Lênin. Por meio desse programa, ele permitia que algumas ações econômicas de natureza capitalistas convivessem com outras de feição socialista. Segundo Lênin, a NEP era uma medida temporária e necessária para que a economia russa tivesse condições de se recuperar após todo o desgaste sofrido com as guerras internas e externas.

    voltar a questão


Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas


Brasil Escola nas Redes Sociais